Publicado em Deixe um coment√°rio

Memória e simbologia: Guerra Civil Americana, Charleston e Brasil

Jomo O. Campos, historiador e professor

A Guerra Civil Americana
Entre 1861 e 1865 ocorreu a Guerra Civil Americana – tamb√©m conhecida como Guerra de Secess√£o. De um lado havia a maior parte dos Estados da Uni√£o*, interessada em abolir a escravatura e dar uniformidade a um projeto de desenvolvimento econ√īmico, pautado na industrializa√ß√£o. Do outro lado, formaram-se os Estados Confederados da Am√©rica, interessados na manuten√ß√£o de uma sociedade que em muito se assemelhava ao Brasil Colonial: monocultura, latif√ļndio e trabalho escravo.
Al√©m dos aspectos econ√īmicos, o que esteve em jogo ao longo de toda essa Guerra Civil foi a idealiza√ß√£o de um novo modelo de civiliza√ß√£o. Karl Marx chegou a afirmar que essa guerra seria como um divisor de √°guas para a Esquerda; o proletariado branco deveria apoiar a luta dos negros pela emancipa√ß√£o.
Imigração Estadunidense
Durante a Guerra e, sobretudo, após o seu desfecho, milhares de confederados fogem dos EUA e rumam à América do Sul. Santa Bárbara D’Oeste e Americana são exemplos de cidades que se formaram a partir dessa leva de imigrantes.

Simbologia

Ao contr√°rio do que muitos pensam, essa foi a primeira bandeira oficial dos Confederados

1Estados Confederados da América

E n√£o essa:

2Bandeira de Batalha dos Confederados

 

Mas por que a √ļltima √© objeto de debates acalorados e pol√™micas at√© o presente dia? Como j√° mencionado anteriormente o que estava em jogo na Guerra Civil eram projetos pol√≠ticos ou modos de vida que dariam molde a uma na√ß√£o pelos pr√≥ximos anos. A segunda bandeira dos Confederados veio √† tona realmente nas d√©cadas de 1940 a 1960 quando o governo federal – em meio aos movimentos pela conquista de direitos civis da popula√ß√£o afro-americana – buscava formas de integrar todo pa√≠s. A bandeira representava o interesse de parte das comunidades sulistas em manter a segrega√ß√£o e preservar seus privil√©gios dentro de uma hierarquia racial.

3                                            A ativista Bree Newsome retira a bandeira do mastro, em protesto

‚ÄúNo final dos anos ‚Äô40, a bandeira foi adotada como um s√≠mbolo dos Dixiecrats ‚Äď um partido pol√≠tico devotado, entre outras coisas, a manter a segrega√ß√£o. Eles tamb√©m se opuseram √†s propostas do Presidente Harry S. Truman para estabelecer leis anti-discrimina√ß√£o e tornar linchamento um crime federal.‚ÄĚ
The Huffington Post

‚Äú[John M.] Coski escreve que embora os Dixiecrats tenham rapidamente ca√≠do no obscurantismo, suas campanhas ‚Äėtornaram a bandeira um acess√≥rio em lugares onde ela teria sido apenas uma novidade anteriormente. ‚Äô Coski d√° o exemplo da Universidade do Mississipi, onde ele observa que raramente se usou a bandeira de batalha como um s√≠mbolo at√© 1948.‚ÄĚ
The Huffington Post

Isso quer dizer que a bandeira, ao contrário do que afirmam membros de certas comunidades, não diz respeito apenas a uma herança ou página de sua história a ser lembrada. Há também um apelo separatista e racista.

‚ÄúEle diz que a universidade come√ßou a incorporar pesadamente o s√≠mbolo em atividades escolares e eventos alguns meses ap√≥s os estudantes terem protestado contra as propostas de direito civil do Truman.‚ÄĚ
The Huffington Post

Em 1962 a universidade recebeu o primeiro estudante afro-americano.

4

James Meredith

Existem outros exemplos, como o da integra√ß√£o da bandeira confederada √† bandeira do Estado da Ge√≥rgia em 1956 ‚Äď por motiva√ß√Ķes raciais e, em de 1963 onde o governador do Alabama, George Wallace, ergueu a bandeira sobre o Capit√≥lio do Estado em protesto contra a desegrega√ß√£o.

Charleston, Junho de 2015
Charleston, uma cidade localizada no Estado da Carolina do Sul, recentemente foi palco de um dos maiores atentados da Hist√≥ria dos EUA. Dylann Roof invadiu a Emanuel African Methodist Episcopal Church e matou nove pessoas a tiro, incluindo o reverendo e senador estadual Clementa C. Pinckney. A princ√≠pio os investigadores tentavam definir se era um crime de ‚Äúterrorismo dom√©stico‚ÄĚ ou ‚Äúcrime motivado por √≥dio‚ÄĚ. O manifesto de Dylann, publicado parcial ou integralmente em jornais, somado a fotos e outras evid√™ncias deixa expl√≠cita suas motiva√ß√Ķes. Inclusive, ap√≥s o ato, recebeu a solidariedade de grupos que defendem a supremacia branca.

5 6

Onde é que o Brasil se encaixa nessa história?
Todos os anos, descendentes de confederados promovem a Festa Confederada. Segundo Asher Levine, correspondente de not√≠cias da ag√™ncia Reuters, a festa revive aspectos da cultura sulista dos EUA, expressos na dan√ßa e culin√°ria. A bandeira confederada hasteada no Brasil √© vista pelos moradores mais como ‚Äúum s√≠mbolo √©tnico do que pol√≠tico‚ÄĚ. Acrescenta que o ocorrido em Charleston tem sido abordado no Brasil tanto mais como um problema de controle de armas quanto uma quest√£o racial. Todo o simbolismo da bandeira parece ter sido perdido em terras brasileiras, ao longo de gera√ß√Ķes.

7Festa Confederada em Americana

O que n√£o se pode perder de vista √© que o Brasil j√° era um pa√≠s estruturalmente racista muito antes da chegada de confederados por aqui e que o fato de eles terem se dirigido para c√° em fins do s√©culo XIX n√£o foi uma coincid√™ncia, tal como n√£o foi coincid√™ncia a cria√ß√£o da Klu Klux Klan e Associa√ß√£o Nacional de Rifle (NRA) nos EUA. Foram organiza√ß√Ķes criadas para defender um ‚Äújeito de ser‚ÄĚ baseado na segrega√ß√£o, √≥dio e viol√™ncia contra minorias.

 Referências bibliográficas
JUNQUEIRA, Mary A. Estados Unidos ‚Äď A Consolida√ß√£o da Na√ß√£o. Cole√ß√£o Repensando a Hist√≥ria. S√£o Paulo. Ed. Contexto, 2001.
KARNAL, Leandro. História dos Estados Unidos. São Paulo. Editora Contexto, 2007.
EISENBERG, Peter Louis. Guerra Civil Americana. S√£o Paulo. Editora Brasiliense, 1982
Vídeos
BBC Brasil
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/06/150622_bandeira_confederada_sp_mdb
TYT ‚Äď The Young Turks ‚Äď Racismo Perturbador por tr√°s da Bandeira dos Confederados

John Oliver, sobre o tiroteio em Charleston
https://www.youtube.com/watch?v=pMWfhA5CTm0
CNN
http://edition.cnn.com/2015/06/19/us/charleston-church-shooting-suspect/
E-Journal
The Daily Beast
http://www.thedailybeast.com/articles/2015/06/20/dylann-roof-s-racist-manifesto-is-ignorant-and-chilling.html
The Nation
http://www.thenation.com/article/210817/historical-roots-dylann-roofs-racism
VICE
http://www.vice.com/read/welcome-to-americana-brazil-0000580-v22n2
VANITY FAIR
http://www.vanityfair.com/news/2015/06/activist-bree-newsome-arrested-after-daring-south-carolina-confederate-flag-removal