Publicado em Deixe um coment√°rio

Todo apoio à luta dos metroviários!

“Abusivo √© o atual estado das coisas”. […]

“Quando um vira mil para salvar a milhares” (UAFRO)

“A ¬†luta de um √© a luta de todos” ‚Äď UBUNTU.

Consciente de que greve n√£o √© escolha, mas falta de op√ß√£o, de que o √ļnico bem inalien√°vel do trabalhador √© a sua for√ßa de trabalho, sendo este o √ļnico instrumento atrav√©s do qual pode pressionar o patronato;

Consciente de que a greve dos metrovi√°rios foi uma rea√ß√£o diante de d√©cadas de gest√£o sabidamente corrupta, ineficiente e contr√°ria aos interesses da popula√ß√£o paulista, e que a resposta do Governador Geraldo Alckmim √†s reivindica√ß√Ķes dos metrovi√°rios √© a mesma que vem dando aos clamores populares por moradia, sa√ļde e educa√ß√£o: viol√™ncia, trucul√™ncia e repress√£o;

greve metroviario

Consciente de que a tropa de choque da Pol√≠cia Militar cumpriu ordens para reprimir o movimento e para isso n√£o exitou em usar bombas de g√°s lacrimog√™neo, spray de pimenta, cassetetes, balas de borrachas, c√°rcere privado, pris√Ķes arbitr√°rias e at√© tortura;

Consciente de que a Justiça trabalhista em São Paulo  contrariou o direito constitucional à greve, ao punir o sindicato dos metroviários com multas de até R$ 500 mil diários, autorizando ainda a retirada do direito à estabilidade dos funcionários mobilizados, exibindo uma posição servil, parcial e corporativa;

Consciente tamb√©m ¬†de que transporte n√£o √© mercadoria, que o servi√ßo prec√°rio oferecido pelo governo paulista n√£o justifica as atuais tarifas abusivas e que os usu√°rios s√£o os mais prejudicados e desrespeitados pela superlota√ß√£o sendo certo que, com a suspens√£o da greve dos metrovi√°rios, o caos no Metr√ī, assim como nos outros meios de transporte p√ļblico permaneceu e permanecer√°!

Consciente tamb√©m estamos ¬†da legalidade da greve prevista na ¬†Constitui√ß√£o Federal, que em seu artigo 9¬ļ e a Lei n¬ļ 7.783/89 asseguram o direito de greve a todo trabalhador, competindo-lhe a oportunidade de exerc√™-lo sobre os interesses que devam por meio dele defender.¬†

Assim sendo, os trabalhadores têm:

LEGITIMIDADE DO EXERC√ćCIO DA GREVE

Considera-se legítimo o exercício de greve, com a suspensão coletiva temporária e pacífica, total ou parcial, de prestação de serviços, quando o empregador ou a entidade patronal, correspondentes tiverem sido pré-avisadas 72 horas, nas atividades essenciais e 48 horas nas demais. 


DIREITO DOS GREVISTAS

S√£o assegurados aos grevistas:
O emprego de meios pacíficos tendentes a persuadir ou aliciar os trabalhadores a aderirem a greve;
A arrecadação de fundos e a livre divulgação do movimento.

PROIBI√á√ēES

Os meios adotados por empregados e empregadores em nenhuma hipótese poderão violar ou constranger os direitos e garantias fundamentais de outrem.  A empresa não poderá adotar meios para constranger o empregado ao comparecimento ao trabalho, bem como capazes de frustrar a divulgação do movimento.

Consciente ainda de que as demiss√Ķes dos metrovi√°rios realizadas em pleno estado de¬†greve, por justa causa, configuram num n√≠tido ass√©dio moral coletivo e s√£o inadmiss√≠veis;

Consciente, por fim, de que a luta dos metrovi√°rios √© a luta de todos os trabalhadores e de que s√≥ a luta transforma, n√≥s do ¬†Kilombagem, coletivo negro, classista, feminista e anti-homof√≥bico, vem a p√ļblico manifestar seu total apoio aos metrovi√°rios e repudiar a postura autorit√°ria do Governador do Estado de S√£o Paulo!

-greve-saopaulo

A mesma pol√≠cia que n√£o cessou de matar impunemente a negros e pobres nas periferias foi mais uma vez mobilizada para agredir trabalhadores em luta leg√≠tima por direitos. O mesmo Governo – ¬†suspeito de desviar pelo menos R$ 425 milh√Ķes dos cofres p√ļblicos com a m√°fia do metr√ī, contribuindo para o presente colapso do sistema p√ļblico de transporte – ¬†falta com a vergonha na cara ao afirma ser a greve a causa do tr√Ęnsito da cidade de S√£o Paulo! Enquanto omite h√° d√©cadas de sangria empreendidas pelo PSDB ao estado de S√£o Paulo, associadas a um projeto de expans√£o urbana e econ√īmica que s√≥ privilegiou o transporte individual em detrimento do transporte p√ļblico.

O metro num dia"normal" sem a greve
O metr√ī num dia”normal” sem a greve

Enquanto os grandes meios de comunica√ß√£o – em que a Rede Esgoto √© apenas o ve√≠culo mais vis√≠vel de uma corja muito maior, benefici√°rios desse projeto homicida e autorit√°rio de governo e sociedade ‚Äď se apressam em criminalizar ‚Äúexemplarmente‚Ä̬† os lutadores do povo com o objetivo n√≠tido de jogar trabalhador contra trabalhador, n√≥s apelamos ao conjunto dos movimentos sociais que tome partido desta luta, utilizando os meios dispon√≠veis em solidariedade ao trabalhadores perseguidos, contribuindo para mobilizar a opini√£o p√ļblica em defesa da revoga√ß√£o das demiss√Ķes.

Pela  readmissão imediata dos 42 funcionários injustamente demitidos e o fim do assédio moral aos demais funcionários que exercerem o seu direito garantido pela constituição.

 

Grupo KILOMBAGEM, por um mundo sem catracas!