Publicado em Deixe um coment√°rio

Nonagésimo aniversário de Fanon РA NEGRITUDE RADICAL

FANON VIDA E OBRA

Os textos de hoje problematizam as rela√ß√Ķes¬†entre Fanon e o Movimento de Negritude. Nas reflex√Ķes, s√£o apresentadas uma s√©rie de aspectos que indicariam proximidades e rupturas do autor com essa perspectiva de luta e com o nacionalismo. Assim, classificam classificam-no como express√£o de uma “negritude radical’.

Peau noire, masques blancs

O primeiro artigo √© ¬† A ¬ę√Āfrica (eternamente) renascida¬Ľ. Relendo tr√™s dos ¬ęseus¬Ľ insignes pensadores: L√©opold S√©dar Senghor, Frantz Fanon e Am√≠lcar Cabral , de ¬†Jos√© Carlos Ven√Ęncio

Resumo:¬†Partindo do pressuposto de que a ideia de √Āfrica √©, em muito, devedora do entendimento que os nacionalistas africanos tinham das suas sociedades, discute-se o contributo espec√≠fico de tr√™s nacionalistas, conquanto um deles, Frantz Fanon, n√£o seja de origem africana, mas sim antilhana. O nacionalismo √©, neste contexto, entendido como parte de um movimento mais vasto, o do renascimento africano, ciclicamente evocado pelos l√≠deres africanos e, deste modo, entendido como um movimento de longa dura√ß√£o (longue dur√©e).

Acesse o artigo aqui

 

Negritude

 

O segundo é A construção do nacional: Entre a conciliação de L.S. Senghor e a revolução de Frantz Fanon no Congresso de Artistas e Escritores Negros de 1959, de Gustavo de Andrade Durão

Resumo: Pretende-se realizar um breve debate sobre os projetos de na√ß√£o presentes nos textos de L√©opold S√©dar Senghor e Frantz Fanon, escritores atuantes no ambito colonial da metade do s√©culo XX. Al√©m da import√Ęncia da trajet√≥ria pol√≠tica e intelectual na ambi√™ncia colonial senegalesa e argelina, em especial, estes dois pensadores estavam profundamente inseridos no debate dos estudos liter√°rios, pol√≠ticos e filos√≥ficos produzidos nos grandes centros metropolitanos europeus.

Acesse o artigo aqui!

 

 

CONTRA A REMO√á√ÉO DAS FAM√ćLIAS DA PRAIA DO SOCEGO¬†