Do racismo explícito da Antiguidade ao racismo mascarado à brasileira, os períodos históricos revelam-se interessantes para a compreensão da desigualdade entre os homens

Apresentar as várias modalidades de racismo, e suas formas de atuação, no Brasil e na diáspora contra povos negros ou não, exige, de início, que se tente desvendar as suas origens históricas e o seu polêmico significado.

Há pelo menos três maneiras de abordar o racismo: a atitude histórica, que considera o racismo uma ideologia que se constituiu apenas no século XIX, quando a idéia de raça, em sentido biológico e genético, tornou-se critério social e político de diferenciação; a atitude a-histórica, que considera o racismo uma forma milenar e difusa de estabelecer diferenças, classificações e hierarquias entre os seres humanos; e a atitude que opera com análise de ideologias e as considera temporais e dinâmicas, portanto, sujeitas a transformações históricas, de tal modo que o racismo difuso dos gregos e romanos, na Antiguidade, ou o racismo explícito do século XIX, sejam momentos de uma história ideológica (1)…

Acesse o texto na íntegra:

[gview file=”http://kilombagem.org/wp-content/uploads/2013/01/11.-Martiniano-J.-Silva-Origens-modalidades-e-forma-de-racismo.pdf”]